Nossa história

Sobre a marca
A Estrela, desde 1937, está presente na memória de todo brasileiro como sinônimo de brinquedo. Conheça a história da empresa e confira os produtos que marcaram diversas gerações.

Fatos marcantes
A história da Estrela começa no dia 27 de Junho de 1937, na fundação de uma modesta fábrica de bonecas de pano e carrinhos de madeira, em poucos anos, acompanhando a evolução industrial do País, a Estrela passou a ser uma indústria automatizada e a produzir brinquedos também de plásticos, metal e outros materiais. Desde a primeira boneca, a Estrela já produziu mais de 25 mil brinquedos diferentes, num total de mais de 1,2 bilhões de unidades que foram distribuídas em todo o País.

Ao longo dos anos a Estrela construiu a força de sua marca combinando qualidade, pioneirismo e inovação na oferta de brinquedos ao mercado brasileiro. A trajetória da empresa é identificada por inúmeros marcos de sua liderança, tendo sido, inclusive, uma das primeiras companhias brasileiras a abrir seu capital em 1944, construindo-se em sociedade anônima. Na década de 40 apresentou o primeiro brinquedo de madeira com movimento e som fabricado no País, o cachorro Mimoso.

Logo depois vieram outras inovações como os jogos Pega Varetas e Banco Imobiliário. As bonecas, que até o final dos anos 40 eram feitas em uma massa inquebrável, passaram a ser de plástico a partir de Pupi, uma boneca articulada de polietileno que “dormia e chorava”, lançada no início da década de 50. Em seguida vieram os bichinhos e bonecos de vinil, mais flexíveis, indicados para crianças pequenas e bebês.

Nos anos 60 a linha foi ampliada com outros lançamentos inovadores, como a primeira boneca mecânica, a Gui Gui, que “ria” quando a criança abria e fechava seus braços. Também é dessa época a Beijoca, que “soltava beijinhos”. A Estrela introduziu neste período outro conceito de grande sucesso: o de fashion doll, com a Susi – uma boneca que foi querida por diversas gerações de meninas brasileiras até 1985, quando deixou de ser fabricada, voltando a ser lançada em 1987 após serem distribuídas mais de 20 milhões de unidades.

Também é desta época a Amiguinha, que ficou famosa por seu tamanho – 90 centímetros, e que hoje voltou ao mercado em versão atualizada. Ainda nesta década outra inovação importante da Estrela foi o lançamento dos brinquedos elétricos, dentre os quais é marcante o Autorama, uma marca da Estrela, que em razão do sucesso do produto, passou a ser sinônimo de brinquedos ligados à velocidade com direito, inclusive, à citação no Dicionário Aurélio. Foi assinado por grandes corredores brasileiros, como Emerson Fittipaldi, José Carlos Pacce, Nelson Piquet, Ayrton Senna e Rubens Barrichello.

Em 1970, a Estrela lançou, entre outros brinquedos, as bonecas Emília, do sítio do Pica-Pau amarelo, Feijãozinho, e o boneco que viria a se tornar o grande namorado de Susi: o Beto. A Estrela passou a trabalhar o conceito de figuras de ação nessa década. Essa categoria teve seu marco com o lançamento do Falcon, o primeiro boneco para meninos. O grande sucesso desta foi Falcon Olhos de Águia, que movimentava os olhos quando era apertado um botão na sua nuca.

Em seguida, surgiram os carros radio-controlados, que teve o Stratus como primeiro modelo, lançado em 1979. Em 1980, mais um marco de pioneirismo: a chegada do Genius, conhecido na época como “o computador que fala”, primeiro brinquedo eletrônico do País. A eletrônica também foi incorporada às bonecas, que passaram a ser mais interativas em modelos como a Amore, de 1986. Outras inovações surgiram nessa linha, como a Sapequinha, primeira a usar fibra óptica e foto sensor para “perceber” a aproximação da criança, e a Bela Palminha, que “cantava” quando suas mãos juntavam-se.

Em 1989, acreditando no crescimento da produção nacional de brinquedos, a Estrela expande suas atividades e inaugura uma nova fábrica em Manaus, para onde destinou grande parte da produção de brinquedos de plástico.

Naquele ano a companhia passou a contar com duas unidades fabris, uma em São Paulo e outra na capital do Amazonas.

Já na década de 90, com o sucesso das séries televisivas entre garotos, novas figuras de ação foram lançadas, dentre elas Comandos em Ação e outros personagens da TV como Batman, Superman e a linha completa de Star Wars, além dos mais recentes lançamentos simultâneos com a exibição dos desenhos pela TV Globo.

Em 2001, com a influência do programa de TV do SBT, a Estrela lança o jogo “Show do Milhão” o qual mostrou excelente desempenho, vendendo mais de 1 milhão de unidades, em duas versões, o que motivou a Estrela a lançar a terceira edição do produto em 2002.

Neste mesmo período, reiterando sua aposta na produção nacional, a Estrela, na contramão de todo o setor de brinquedos inaugurou sua terceira fábrica, na cidade de Três Pontas, sul de Minas Gerais – o que gerou uma maior capacidade de produção para a Estrela.

Em 2006, a Estrela conta com mais de 400 produtos em sua linha, que entre as novidades, estão os brinquedos tecnológicos, jogos, bonecas, brinquedos pré-escolares, figuras de ação, veículos rádio controlados e a coleção Susi. E é na área de jogos, onde a Estrela tem grande força no mercado, a empresa oferece uma ampla linha de jogos clássicos e diversos cartonados de ação e equilíbrio. Além dos tradicionais Banco Imobiliário, jogo da Vida, Detetive e Combate.

Casa dos Sonhos
A Casa dos Sonhos vem proporcionando a seu público uma divertida viagem pelos quase 70 anos de história de Estrela, mostrando os brinquedos que fazem e fizeram parte do sonho de milhões de pessoas no Brasil e no mundo. Após 6 anos desde grande sucesso, a Casa dos Sonhos passará por uma grande reformulação e em breve teremos uma grande surpresa.

Escritório Central
Atualmente um escritório central na cidade de São Paulo funciona como a sede da inteligência da companhia, que mantém suas áreas de Presidência, Marketing, Vendas, Novos Negócios e CEAC (Centro Estrela de Atendimento ao Consumidor), em um moderno e arrojado escritório.

Unidades fabris
A Estrela iniciou operação de sua unidade fabril no interior de São Paulo, na cidade de Itapira, em julho de 2003. Essa unidade da Estrela está instalada numa área de 130 mil m2, distribuídos entre linha de montagem, depósito, administração e área de apoio (refeitório e vestiários). Esta fábrica da Estrela em Itapira faz parte do projeto de expansão da companhia que também possui outras duas unidades: em Ribeirópolis – SE e em Três Pontas – MG. A fábrica de Três Pontas, no sul de Minas Gerais, conta com 13,2 mil m2, em um terreno de 100 mil m2, e dobrou a oferta de empregos na região. A inauguração da segunda maior unidade da companhia no país ocorreu em janeiro de 2004. A implantação desta unidade completa a estratégia da empresa que, com maior competitividade, objetiva crescer em exportações e ampliar as vendas ao mercado interno. “A Estrela continua firme nos seus propósitos de valorizar o mercado nacional, gerando empregos e contribuindo par ao real desenvolvimento do Brasil”, informa Carlos Tilkian, presidente da Brinquedos Estrela.

Atendimento ao Consumidor
O CEAC (Centro Estrela de Atendimento ao Consumidor) da Brinquedos Estrela foi um dos pioneiros no atendimento de consumidores por meio do portal ReclameAqui e recebeu o prêmio em sua categoria em todas as edições até o momento, e, em duas edições (anos de 2012 e 2016) foi a mais votada da premiação, levando o prêmio principal de Super Campeã de Atendimento.

Qualidade
Em 1982, a Manufatura de Brinquedos Estrela S.A. fez a adequação do seu Sistema de Qualidade às Normas ISO 9002, recebendo o certificado de Sistema de Qualidade no. CE-SIQ-008/93, tornando-se a primeira empresa do ramo de brinquedos a receber este certificado.

ISO 9001:2000
A Estrela tornou-se a primeira empresa do ramo de brinquedos a receber esse certificado. A ISO 9002 é um sistema de qualidade, modelo para garantia da qualidade em produção, instalação e serviços. A Estrela conseguiu este certificado de qualidade por meio da implantação de todas as normas NBR ISO 9002, ABNT-ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS; de acordo com a auditoria de certificação por empresas certificadoras e auditorias periódicas após a certificação. Dessa forma, com a posse desse certificado, a Estrela assegura aos clientes a confiabilidade de qualidade dos produtos e serviços, além de gerar maior credibilidade junto aos fornecedores, visando expansão de mercado, competitividade e, mantendo sob equilíbrio os fatores técnicos, administrativos e humanos. Quando aos funcionários, gera qualidade nos serviços, com treinamento, responsabilidade e envolvimento de toda equipe.

Política de Qualidade
Todos os funcionários a empresa devem trabalhar com o propósito permanente de alcançar:

  • A satisfação do consumidor;
  • O desenvolvimento das pessoas;
  • A formação do preço competitivo;
  • A parceria com fornecedores internos e externos;
  • A busca constante pela melhoria.

Sistema de Qualidade Estrela
O Sistema de Qualidade visa estabelecer, documentar e implementar as atividades que influem na qualidade dos produtos da Manufatura de Brinquedos Estrela S. A. e identificar os responsáveis pela execução e verificação das mesmas. Para que isso ocorra os procedimentos que fazem parte do Sistema da Qualidade garantem a abrangência e o grau de detalhamento, levando-se em conta a complexidade e método de trabalho, assim como habilidade e consequentemente treinamentos necessários para os envolvidos no sistema. Como a Portaria no. 47 de 13/03/92 do instituto Nacional de Metrologia e Normalização Qualidade Industrial (INMETRO) a Estrela decidiu fazer o credenciamento de seus Laboratórios na Rede Brasileira de Laboratórios de Calibração/Ensaios (RBCE) para poder realizar todos os ensaios previstos na norma de segurança do brinquedo NBR 11786, e garantir a qualidade de seus produtos. Recebeu o Certificado de Entidade Credenciada no. CRLF-010/93. Em 1993 a Estrela recebeu a Marca Nacional de Conformidade através da licença para o uso da marca no. AJ-BRI-001/93. Para preservar a integridade física da criança, a Estrela realiza os seguintes testes para na produção dos brinquedos: físicos e mecânicos, químicos, elétricos, verificação de rotulagem e identificação do fabricante. O fabricante tem como obrigação perante a legislação de minimizar o risco através da NORMA citada acima. O produto deve ser adequado à determinada faixa etária para evitar risco de acidentes com o usuário do produto.